Blefaroplastia - A Cirurgia

Através de um corte que segue o contorno natural da pálpebra superior e de uma pequena incisão abaixo dos cílios (na pálpebra inferior), o excesso de pele e as bolsas de gordura são retirados. O procedimento é rápido e na maioria dos casos as cicatrizes não são visíveis, pois ficam escondidas sob a prega natural dos olhos e nos cílios. A cirurgia pode ser feita com anestesia local com sedação e o tempo de internação é de meio período.

Existem várias técnicas diferentes para alterar a aparência dos olhos, mas a técnica cirúrgica padrão envolve a remoção ou redistribuição dos depósitos de gordura.

Em todas elas, os excessos de pele e músculo das regiões das pálpebras superiores e inferiores são retirados. Estas áreas podem ser tratadas separadamente ou em conjunto. O cirurgião plástico pode determinar qual o tratamento mais adequado para cada caso.

Blefaroplastia das pálpebras superiores

A duração da cirurgia varia entre uma ou duas horas e depende da extensão do tratamento. Antes de iniciar o procedimento, a área a ser tratada é limpa e um anestésico é administrado. As linhas das incisões são então desenhadas para seguirem os contornos naturais das pálpebras, deixando assim as cicatrizes mais imperceptíveis. Traçadas as linhas, uma incisão é feita na prega das pálpebras superiores. Depois, uma camada de excesso de pele da região é removida, expondo o músculo subjacente.

Em alguns casos, retira-se uma pequena faixa de músculo das pálpebras superiores, expondo as camadas seguintes. São feitas pequenas incisões no septo orbital (membrana fina,que se estende entre as camadas de músculo e gordura), para acessar os dois depósitos de gordura. Depois, uma porção de cada depósito é removida para diminuir as bolsas da pálpebra. A porção restante é recolocada na abertura. As incisões são então fechadas com pontos – absorvíveis ou não.

Blefaroplastia das pálpebras inferiores (externa)

A incisão é feita na prega da pálpebra inferior, para que a cicatriz fique escondida nos contornos naturais do olho. A gordura orbital é exposta e o excesso é retirado, diminuindo a aparência das bolsas e inchaços nas pálpebras. Após a cauterização da gordura orbital restante, ela é recolocada no lugar. Se também há excesso de pele, ele é retirado e a incisão é fechada.

Blefaroplastia das pálpebras inferiores (interna)

As pálpebras inferiores são cuidadosamente afastadas do globo ocular com um retrator para expor a conjuntiva. Os olhos são devidamente protegidos durante o procedimento. Então, uma pequena incisão na conjuntiva é feita, guiando um dispositivo cauterizador, expondo os três depósitos de gordura orbital.

Pós-Operatório

O inchaço irá desaparecer no período de cinco dias ou menos e os hematomas, entre dez a doze dias. O resultado final estético é visível de sete a dez dias após a cirurgia. Recomenda-se evitar atividades pesadas, como a prática de exercícios ou levantamento de peso, por pelo menos duas semanas após o procedimento.

As cicatrizes podem ficar levemente avermelhadas, porém permanecem escondidas pelos contornos das pálpebras e desaparecem dentro de alguns meses, até ficarem linhas brancas muito finas. Entretanto, o clareamento e amaciamento da cicatriz levam de seis meses a um ano para obterem o resultado completo. Com o tempo, a cicatriz permanente torna-se uma linha imperceptível escondida nos contornos das pálpebras. Os resultados são duradouros e a cirurgia mantém a aparência dos olhos revitalizada por muitos anos, mesmo com o envelhecimento constante da pele.

Exames Pré-Operatórios

Antes de planejar quando a cirurgia será feita e sonhar com os resultados que virão, é de excepcional importância saber as condições nas quais o corpo se encontra e se ele está apto para o procedimento cirúrgico para o qual será submetido. Os exames laboratoriais pedidos no pré-operatório são extremamente valorosos para o cirurgião conhecer melhor seus pacientes e traçar a estratégia mais eficaz para cada um.

Dia da Cirurgia

VOLTAR

© 2019 by Dr. Danilo Dias l  Cirurgia Plástica