Mamoplastia 

Redutora

(Mamoplastia de redução / mamoplastia redutora)

A mamoplastia redutora, também conhecida como mastoplastia, é uma cirurgia plástica que reduz o tamanho da mama, equilibrando-o às proporções de cada paciente, de acordo com a posição das aréolas, contorno mamário e estrutura corporal.

 

Embora grande parte das mulheres deseje seios grandes, muitas delas sofrem pelo fato de suas mamas serem desproporcionais ao seu porte físico. A hipertrofia mamária faz com que as pacientes sofram de frequentes dores na coluna, prejudicando a postura, causando pressão nos ombros devido à alça do sutiã e dificuldade de executar tarefas simples, como vestir-se ou até praticar esportes.

Problemas como a displasia mamária (disfunção da mama que provoca a formação de nódulos, retenção de líquidos e dores agudas no período menstrual) depois de detectados em exames clínicos, podem ser solucionados pelo procedimento.

A mamoplastia redutora, portanto, não possui apenas um caráter estético, como também um funcional, estando diretamente ligada à qualidade de vida da mulher.

Para as jovens, a situação pode ser ainda pior, pois pode gerar problemas psicossociais que dificilmente são resolvidos futuramente. O padrão feminino de beleza é algo intrínseco a nossa sociedade e o preconceito e a exclusão são grandes inimigos da auto-estima e da felicidade.

A maior vantagem da mamoplastia redutora é a possibilidade de unir a necessidade de garantir a saúde e o bem-estar à vontade pessoal de rejuvenescer, em busca da beleza.

A cirurgia pode ser realizada a partir dos 15 anos, na maioria das situações, pois, por volta desta idade, os seios já atingiram seu desenvolvimento máximo. Além disso, é na adolescência que os constrangimentos em função da aparência podem se tornar distúrbios de personalidade e dificuldades de adaptação na vida social.

Quanto à estética, os seios estão inseridos em um contexto de proporções corporais. O seu tamanho deve ser proporcional às dimensões do resto do corpo. Além das relações de proporção e harmonia, devem ser levadas em conta as características genéticas de cada paciente. Cada pessoa tem uma limitação para que o resultado final seja natural.

O pré-operatório do procedimento consiste na realização de todos os exames laboratoriais prescritos pelo médico, na suspensão de medicamentos anticoagulantes – como o ácido acetilsalicílico – e em ter cigarro e bebidas alcoólicas evitados nos dias anteriores à cirurgia. Além disso, deve ser realizado jejum absoluto de sólidos e líquidos nas oito horas que antecedem o procedimento. Em caso de gripe ou mal estar, o médico deve ser avisado.

Pós-Operatório

A tecnologia, associada aos mais recentes estudos da medicina relacionados à cirurgia plástica, permite que a mamoplastia redutora apresente uma cicatriz cada vez menos perceptível e de aparência fina e pequena. Porém, é importante lembrar que o resultado da cirurgia e o sucesso da cicatrização estão diretamente relacionados ao cumprimento das orientações médicas.

Durante o pós-operatório, é comum a presença de edemas e equimoses – que desaparecem com o tempo – e dores leves, que são controladas com analgésicos prescritos pelo cirurgião.

É importante manter repouso relativo durante os oito primeiros dias após o procedimento. Dormir de bruços não é recomendado, mas uma posição confortável de lado, que não comprima o tórax, é permitida. Deve-se evitar dirigir por, no mínimo, três semanas após a cirurgia.

O uso do sutiã cirúrgico é obrigatório por, no mínimo, trinta dias. Deve-se evitar fazer esforço, levantar os cotovelos mais de 45º em relação ao tronco e carregar peso por, pelo menos, um mês. Os pontos não podem ser molhados e são retirados aproximadamente duas semanas após a cirurgia. Caminhadas estão liberadas a partir de quinze dias, e esportes como natação, vôlei e musculação, depois de três meses. No início, as cicatrizes devem ficar avermelhadas e o resultado é gradual. O definitivo pode ser percebido após cerca de seis meses.

Após a cirurgia, as mamografias deverão ser realizadas por um radiologista especializado, que deverá utilizar técnicas específicas e adaptadas à presença de implantes mamários. Portanto, é fundamental que ele seja informado sobre a presença dos implantes na hora do exame.

DICA: É importante lembrar que a mamoplastia redutora é uma cirurgia e, como toda cirurgia, requer cuidados especiais para se obter o resultado desejado. Esforços prematuros podem prejudicar a cicatrização e o efeito do resultado.

Especificações

Idade recomendada: a partir dos 18 anos
Anestesia: local com sedação ou geral
Duração da cirurgia: entre duas e cinco horas
Tempo de internação: entre 12 e 24 horas
Pré-operatório: realização de exames laboratoriais e suspensão do uso de medicamentos como, por exemplo, anticoagulantes
Pós-operatório: uso de sutiã cirúrgico por, no mínimo, um mês 
Tempo de recuperação: 7 a 14 dias

PERGUNTAS FREQUENTES:

1.Qual o tamanho das cicatrizes e onde ficam localizadas?
Cada tipo de mama necessita de um tamanho e tipo de cicatriz T invertido, L, vertical ou periareolar.

2. As cicatrizes necessárias para realizar a mamoplastia redutora são visíveis?
A percepção visual das cicatrizes são maiores na cicatrização hipertrófica e muito discreta nas cicatrizações de boa qualidade.
A qualidade da cicatriz varia geneticamente, localização no corpo, técnicas utilizadas e cuidados pós operatórios.

3. Existe tratamento para cicatrizes grosseiras nas mamas?
O ideal é o acompanhamento pós operatório da evolução cicatricial e prevenir com tratamento que ela ocorra.
Se apesar da prevenção a cicatriz hipertrófica ocorrer pode-se recorrer a infiltrações ou até sua remoção cirúrgica e posterior betaterapia

4. Como ficarão minhas mamas no pós operatório. Quais as mudanças?
O volume será definido baseando-se em uma harmonia com o seu corpo como um todo, podendo-se optar por mamas um pouco mais fartas ou menores.
Com relação consistência ela será bem menos flácida, mais rijas e elevadas.
Além destes dois itens são evidenciados os “colos das mamas”, correção do tamanho e formato das aréolas e, ou redução dos mamilos “bicos”.

5. Como é a evolução pós operatória?
Nos 30 primeiros dias as mamas apresentam-se inchadas, com alguns hematomas e pequenas irregularidades que vão melhorando com o tempo.
Após 30 dias o inchaço diminui, a mama tende a ficar mais macia, as cicatrizes se acomodam e as mamas evoluem em direção ao resultado final.
Aos 6 meses as mamas estão muito próximas ao resultado definitivo.
Dos 2 aos 6 meses podem ser necessários pequenos retoques para o aprimoramento dos resultados.

6. A gravidez estraga o resultado da cirurgia plástica?
Na maioria das vezes o prejuízo é muito pequeno porque com a redução cirúrgica a quantidade de glândula é menor, consequentemente o aumento do volume mamário também é menor.
Quando ocorre queda, pode-se realizar uma cirurgia de pequena dimensão para recuperar o resultado inicial.

7. O pós operatório é doloroso?
Não, na maioria das vezes o simples uso de analgésicos e antiinflamatórios tornam o pós operatório confortável.

8. A cirurgia de mamoplastia é arriscada?
A incidência de complicações sérias em plástica de mama é muito rara.
A avaliação pré operatória e observadas as condições técnicas necessárias para realização deste procedimento, o risco assemelha-se a viajar de automóvel.

9. Qual anestesia é necessária para realização da plástica redutora?
Pode-se utilizar anestesia local e sedação na maioria dos casos, podendo-se optar por peridural alta geral.

10. Qual o tempo de cirurgia?
O tempo de duração do procedimento é de 2 horas.

11. Qual tempo de internação?
De 12 a 24 horas de internação.

12. Quanto tempo depois da cirurgia posso tomar banho completo?
O ideal é após 24 horas.

13. Pode-se usar cola cirúrgica?
Sim, o uso de cola cirúrgica ajuda nos cuidados pós operatórios.

14. Com quanto tempo pode ou devem ser retirados os pontos?
Geralmente em torno do 10º ao 15º dia do pós-operatório.

15. Quando posso voltar a trabalhar?
A volta as atividades básicas, rotineiras, evitando-se esforço físico e com cuidado pode ser em 10 dias. Caminhadas após 30 dias e liberdade para ginástica progressivamente após 60 dias.

VOLTAR

© 2019 by Dr. Danilo Dias l  Cirurgia Plástica