Ginecomastia

Redutora

(mamilos masculinos / plástica mama masculina)

Ginecomastia é a presença de mamas com características femininas no homem. A causa pode ser genética, alteração hormonal ou maior sensibilidade da glândula mamária ao hormônio feminino (sem haver alteração hormonal). Ela pode ter um aumento tanto da glândula, quanto da gordura em volta da glândula ou ambos simultaneamente. O problema também pode ser ocasionado pelo uso excessivo de álcool e drogas. Independentemente da causa, a maioria dos homens com ginecomastia sofre por ter "mamas" com formato feminino.

Além do tamanho aumentado, a ginecomastia também pode ser caracterizada por mamas masculinas assimétricas. A cirurgia de correção pode, portanto, ser feita em apenas uma mama ou nas duas. É importante que o paciente esteja em seu peso ideal – pois a mama também possui boa quantidade de gordura – e certo em relação à escolha do procedimento.

A cirurgia pode ser feita a partir dos 18 anos, quando o desenvolvimento das mamas masculinas já está completo. Porém, pode ser realizada em crianças, nas quais sejam detectados grandes complexos que prejudiquem seu desenvolvimento psicossocial e afetivo.

A ginecomastia redutora pode ser realizada com anestesia local e sedação ou geral, e pode levar, em média, de uma a duas horas. O tempo de internação varia de 12 a 24 horas, dependendo do tipo de anestesia utilizado.

O pré-operatório do procedimento consiste na realização de todos os exames laboratoriais prescritos pelo médico, na suspensão de medicamentos anticoagulantes – como o ácido acetilsalicílico – e em ter cigarro e bebidas alcoólicas evitados nos dias anteriores à cirurgia. Além disso, deve ser realizado jejum absoluto de sólidos e líquidos nas oito horas que antecedem o procedimento. Em caso de gripe ou mal estar, o médico deve ser avisado.

O Procedimento

A técnica cirúrgica depende do tipo de ginecomastia e de sua severidade, e varia de caso a caso. Existem três métodos que podem ser utilizados separadamente ou em combinação: lipoaspiração (a mais simples), lipoaspiração ultrassônica (para os que precisam retirar maior quantidade de gordura) e mastoplastia redutora (nos pacientes com excesso de pele).

A cirurgia consiste em um corte pequeno em forma de semicírculo na parte inferior da aréola. A glândula de consistência dura e aumentada é retirada e deverá ser examinada por um patologista.

A cicatriz do procedimento não é aparente e fica praticamente invisível com o tempo. Ela fica localizada entre a dobra das mamas e o abdome, sendo avermelhada nos primeiros meses e depois ficando com a mesma coloração da pele. O resultado é alcançado entre o período de seis meses e um ano, conforme amadurecimento da cicatriz. Entretanto, é possível visualizar 80% da forma definitiva do procedimento já a partir do segundo mês.

Pós – Operatório

É importante lembrar que o resultado da cirurgia e o sucesso da cicatrização estão diretamente relacionados ao cumprimento das orientações médicas.

Durante o pós-operatório, podem ocorrer edemas e equimoses – que desaparecem com o tempo – e dores leves. O uso de medicação antibiótica, antiinflamatória e analgésica é necessário e deve ser feito apenas sob prescrição médica.

As atividades normais podem ser retomadas em uma semana, e os pontos, retirados no período de sete a quinze dias após a cirurgia. Os curativos devem ser trocados diariamente nos primeiros oito dias, conforme orientação médica.

Durante o primeiro mês após o procedimento, devem-se restringir movimentos amplos dos braços e as tarefas do lar, além de evitar dirigir e fazer exercícios físicos pelo mesmo período. O uso do colete cirúrgico é obrigatório por, pelo menos, trinta dias, ou segundo recomendação médica. Drenagens linfáticas pós-cirúrgicas são aconselhadas a partir da primeira semana, por quatro a oito semanas.

Especificações

Idade recomendada: após os 18 anos
Anestesia: local com sedação ou geral
Duração da cirurgia: entre uma e duas horas
Tempo de internação: entre 12 e 24 horas
Pré-operatório: realização de exames laboratoriais e suspensão do uso de medicamentos como, por exemplo, anticoagulantes
Pós-operatório: uso de colete cirúrgico por, pelo menos, um mês 
Tempo de recuperação: uma semana

VOLTAR

© 2019 by Dr. Danilo Dias l  Cirurgia Plástica